segunda-feira, 13 de junho de 2011

Dúvidas e certezas.

Será que a morte é o ponto final de tudo? Ou apenas o começo? Ou será que dormimos até o dia em que acordaremos num mundo que nunca fora o nosso? ou renascemos e vivemos novamente, como um ciclo, como o rio que brota na nascente o tempo todo e nunca deixa que este rio morra? Não completamente?

Tudo isso é apenas o começo, ou acho que deva ser. Ou apenas devo usa-la como o início de uma mudança, não de comportamento, ou algo superficial, mas sim de espírito, de alma. Entender que esta imagem de simples complexabilidade da vida em que as pessoas a intitulam e nela acreditam, é só uma parte dela. O aprofundamento, e o ampliamento das nossas visões e pensamento é a chave pra uma evolução que vem de dentro.


''Lembremo-nos de que o homem interior se renova sempre. A luta enriquece-o de experiência, a dor aprimora-lhe as emoções e o sacrifício tempera-lhe o caráter. O Espírito encarnado sofre constantes transformações por fora, a fim de acrisolar-se e engrandecer-se por dentro.'' Chico Xavier.

Nenhum comentário: